Sem acordo, MDB deve liberar filiados para apoiar quem quiser em MT

Imprimir
+ Política
Quinta, 12 Maio 2022 | CONEXÃO PODER
O MDB, um dos principais partidos da base do governador Mauro Mendes (União Brasil), deve liberar seus filiados para que apoiem quem quiser nas eleições majoritárias de outubro, tanto para governo, quanto para o Senado.
O partido está dividido em duas correntes: a maioria com Mauro, e outra parte que segue o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), e que pela rivalidade entre os dois, prefere ficar contra o governador.
Para o Senado, a situação é parecida. A maioria apoia o projeto de Neri Geller (PP), mas existe uma corrente que acompanha Janaina Riva, que vai apoiar seu sogro, o senador Wellington Fagundes (PL), que tentará a reeleição.
De acordo com o presidente municipal do MDB Cuiabá, advogado Francisco Faiad, essas divisões devem levar o partido a liberar seus militantes.
“Vai ser uma discussão travada em julho, nas convenções, mas estou entendendo que haverá uma liberação do partido no sentido de que certos militantes possam apoiar candidaturas diferentes daquela que o partido escolher”, disse.
O MDB não terá candidatos próprios ao Governo e Senado, por isso, deve escolher que projeto apoiar. No entanto, o debate não deve ocorrer antes das convenções, entre 20 de julho e 5 de agosto.
“Com certeza, esses embates em relação à majoritária vão ficar para o mês que vem e para julho, durante as convenções. Não há uma definição sobre governador. A maioria do partido, hoje sabemos, defende a reeleição de Mauro, mas essa discussão, sem dúvida, vai ficar para julho”, completou Faiad.

 

 
 
 
 
 
Joomla 1.6 Templates designed by Joomla Hosting Reviews